Tem uma dúvida?
Nome
E-mail
Telefone
Enviar Arquivo
Subir arquivo

Arraste arquivo aqui ou clique no botão.

.png, .jpg, .jpeg, .mp4, .pdf
Formatos de arquivo suportados
Enviando...
Mensagem
Excluir arquivo
Tem certeza de que deseja excluir este arquivo?
Mensagem enviada Fechar

Balanced Scorecard

O Balanced Scorecard é um método de gestão estratégica que tem sido utilizado por organizações em todo o mundo há mais de duas décadas.

O Balanced Scorecard é um método de gestão estratégica que tem sido utilizado por organizações em todo o mundo há mais de duas décadas. Desenvolvido por Robert Kaplan e David Norton na década de 1990, o Balanced Scorecard permite que as empresas traduzam sua estratégia em ações tangíveis, monitorando o desempenho da organização de uma maneira holística.

Neste artigo, será abordado tudo o que você precisa saber sobre Balanced Scorecard, incluindo a definição do conceito, os benefícios que ele traz para as empresas, como implementá-lo e exemplos práticos de sua aplicação.

Definição de Balanced Scorecard

O Balanced Scorecard é um método de gestão estratégica que visa traduzir a estratégia de uma empresa em ações tangíveis e mensuráveis. Ele é baseado em quatro perspectivas: financeira, cliente, processos internos e aprendizado e  crescimento. O Balanced Scorecard permite que as empresas avaliem seu desempenho em cada uma dessas perspectivas, estabeleçam metas e objetivos e monitorem seu progresso ao longo do tempo.

Perspectivas do Balanced Scorecard

O Balanced Scorecard é dividido em quatro perspectivas: financeira, cliente, processos internos e aprendizado e crescimento.

  1. Perspectiva Financeira

A perspectiva financeira do Balanced Scorecard mede o desempenho financeiro da empresa. Ela avalia indicadores como lucratividade, retorno sobre investimento, fluxo de caixa e custos. Esses indicadores são importantes porque afetam diretamente a saúde financeira da empresa.

  1. Perspectiva do Cliente

A perspectiva do cliente do Balanced Scorecard mede a satisfação do cliente e a fidelidade à marca. Ela avalia indicadores como taxa de retenção de clientes, satisfação do cliente, lealdade do cliente e aquisição de novos clientes. Esses indicadores são importantes porque afetam diretamente a capacidade da empresa de reter clientes e gerar receita.

  1. Perspectiva de Processos Internos

A perspectiva de processos internos do Balanced Scorecard mede a eficiência dos processos internos da empresa. Ela avalia indicadores como tempo de ciclo, qualidade, produtividade e inovação. Esses indicadores são importantes porque afetam diretamente a capacidade da empresa de fornecer produtos e serviços de alta qualidade de forma eficiente e eficaz.

  1. Perspectiva de Aprendizado e Crescimento

A perspectiva de aprendizado e crescimento do Balanced Scorecard mede a capacidade da empresa de aprender e crescer. Ela avalia indicadores como habilidades e competências dos funcionários, inovação, tecnologia e cultura organizacional. Esses indicadores são importantes porque afetam diretamente a capacidade da empresa de se adaptar às mudanças do mercado e inovar.

Benefícios do Balanced Scorecard

O Balanced Scorecard traz uma série de benefícios para as empresas que o utilizam. Alguns desses benefícios incluem:

  1. Alinhamento estratégico: O Balanced Scorecard ajuda as empresas a alinhar sua estratégia com suas metas e objetivos de longo prazo. Isso ajuda a garantir que todos os departamentos e funcionários estejam trabalhando mesma direção e com foco em objetivos compartilhados.
  2. Comunicação clara: Com o Balanced Scorecard, as metas e objetivos da empresa são comunicados de forma clara e transparente para toda a organização. Isso ajuda a garantir que todos saibam o que é esperado deles e como suas ações contribuem para a estratégia geral da empresa.
  3. Monitoramento do desempenho: O Balanced Scorecard permite que as empresas monitorem seu desempenho de forma holística, avaliando sua performance em cada uma das quatro perspectivas. Isso ajuda a identificar problemas e oportunidades de melhoria, permitindo que a empresa faça ajustes para alcançar seus objetivos.
  4. Tomada de decisão informada: Com base nos dados coletados pelo Balanced Scorecard, as empresas podem tomar decisões informadas sobre onde concentrar seus esforços e recursos. Isso ajuda a maximizar o retorno sobre investimento e minimizar o desperdício.
  5. Melhoria contínua: O Balanced Scorecard incentiva a melhoria contínua, com as empresas definindo metas cada vez mais ambiciosas e monitorando seu progresso em direção a elas. Isso ajuda a garantir que a empresa continue a crescer e prosperar a longo prazo.

Implementação do Balanced Scorecard

A implementação do Balanced Scorecard é um processo complexo que requer tempo, recursos e comprometimento da liderança da empresa. Aqui estão os passos-chave para implementar o Balanced Scorecard em uma organização:

  1. Definir a estratégia: O primeiro passo na implementação do Balanced Scorecard é definir a estratégia da empresa. Isso envolve identificar a visão de longo prazo da empresa, definir seus valores e princípios, e estabelecer metas e objetivos específicos.
  2. Identificar as perspectivas: Com base na estratégia definida, as empresas devem identificar as quatro perspectivas do Balanced Scorecard que são mais relevantes para sua situação. Isso envolve avaliar o que é mais importante para a empresa e o que precisa ser medido para alcançar seus objetivos.
  3. Definir indicadores: Para cada perspectiva do Balanced Scorecard, as empresas devem definir os indicadores que serão usados para medir o desempenho. Esses indicadores devem ser específicos, mensuráveis, alcançáveis, relevantes e baseados em tempo.
  4. Definir metas: Com base nos indicadores definidos, as empresas devem definir metas específicas para cada perspectiva do Balanced Scorecard. Essas metas devem ser desafiadoras, mas alcançáveis, e devem estar alinhadas com a estratégia geral da empresa.
  5. Desenvolver iniciativas: Para alcançar suas metas, as empresas devem desenvolver iniciativas específicas em cada perspectiva do Balanced Scorecard. Essas iniciativas devem ser orientadas para a ação e devem ter um cronograma definido.
  6. Implementar e monitorar: Com as metas, indicadores e iniciativas definidos, as empresas podem implementar o Balanced Scorecard em sua organização. É importante monitorar regularmente o desempenho da empresa em relação aos indicadores e metas definidos, fazendo ajustes conforme necessário.

Exemplos de aplicação do Balanced Scorecard

O Balanced Scorecard tem sido aplicado com sucesso em diversas organizações em todo o mundo, independentemente do tamanho ou setor em que atuam. Aqui estão alguns exemplos de empresas que usaram o Balanced Scorecard para melhorar seu desempenho:

  1. Philips Electronics: A Philips Electronics implementou o Balanced Scorecard para melhorar a eficiência em sua cadeia de suprimentos e reduzir custos. A empresa usou o Balanced Scorecard para monitorar o desempenho de fornecedores, tempo de entrega e níveis de estoque, o que levou a uma melhoria significativa em sua cadeia de suprimentos.
  2. Banco Santander: O Banco Santander usou o Balanced Scorecard para melhorar o desempenho de seus funcionários. A empresa definiu metas específicas para cada funcionário com base em seu papel e responsabilidades, e monitorou seu desempenho em relação a essas metas. Isso levou a uma melhoria significativa no desempenho da equipe do banco.
  3. Instituto de Cardiologia do Rio Grande do Sul: O Instituto de Cardiologia do Rio Grande do Sul implementou o Balanced Scorecard para melhorar a qualidade do atendimento ao paciente. A empresa definiu indicadores específicos para monitorar o desempenho do hospital em relação à satisfação do paciente, tempo de espera e qualidade do atendimento. Isso levou a uma melhoria significativa na qualidade do atendimento prestado.
  4. Grupo Zena: O Grupo Zena, que possui várias marcas de restaurantes na Espanha, usou o Balanced Scorecard para melhorar a eficiência operacional. A empresa definiu indicadores específicos para monitorar o desempenho de seus restaurantes em relação ao tempo de espera do cliente, qualidade do serviço e custos operacionais. Isso levou a uma melhoria significativa na eficiência operacional e na satisfação do cliente.
  5. NASA: A NASA usou o Balanced Scorecard para melhorar o gerenciamento de projetos e a comunicação interna. A empresa definiu metas específicas para cada projeto com base em sua importância estratégica e monitorou seu desempenho em relação a essas metas. Isso ajudou a melhorar a eficiência do gerenciamento de projetos e a comunicação interna na organização.

O Balanced Scorecard é uma ferramenta poderosa para ajudar as empresas a implementar e monitorar sua estratégia de forma holística. Ele ajuda a garantir que as empresas se concentrem em seus objetivos de longo prazo, comuniquem claramente suas metas e objetivos e monitorem seu desempenho em relação a eles. O processo de implementação do Balanced Scorecard pode ser desafiador, mas as empresas que investem tempo e recursos em sua implementação geralmente experimentam uma melhoria significativa no desempenho e na eficiência.

Referências 

  1. Kaplan, R. S., & Norton, D. P. (1992). The balanced scorecard: Measures that drive performance. Harvard business review, 70(1), 71-79.
  2. Kaplan, R. S., & Norton, D. P. (1996). Using the balanced scorecard as a strategic management system. Harvard business review, 74(1), 75-85.
  3. Kaplan, R. S., & Norton, D. P. (2000). Having trouble with your strategy? Then map it. Harvard business review, 78(5), 167-176.
  4. Olve, N. G., Roy, J., & Wetter, M. (1999). Balanced scorecard: translating strategy into action. John Wiley & Sons.
  5. Neely, A. (2002). Business performance measurement: Theory and practice. Cambridge University Press.
  6. Riahi-Belkaoui, A. (2003). The balanced scorecard: judgmental effects of common and unique performance measures. Journal of Management Accounting Research, 15(1), 135-153.
  7. Ittner, C. D., & Larcker, D. F. (2003). Coming up short on nonfinancial performance measurement. Harvard business review, 81(11), 88-95.
  8. Hoque, Z. (2004). The balanced scorecard: judgmental effects of common and unique performance measures. British Accounting Review, 36(3), 251-268.
  9. Marr, B., & Schiuma, G. (2011). The Balanced Scorecard of Intangibles. John Wiley & Sons.
  10. Epstein, M. J., & Manzoni, J. F. (2013). The balanced scorecard and tableau de bord: translating strategy into action. Journal of Corporate Accounting & Finance, 24(2), 17-28.