Tem uma dúvida?
Nome
E-mail
Telefone
Enviar Arquivo
Subir arquivo

Arraste arquivo aqui ou clique no botão.

.png, .jpg, .jpeg, .mp4, .pdf
Formatos de arquivo suportados
Enviando...
Mensagem
Excluir arquivo
Tem certeza de que deseja excluir este arquivo?
Mensagem enviada Fechar

Os benefícios da fisioterapia na reabilitação pós-cirúrgica

A fisioterapia desempenha um papel fundamental na reabilitação pós-cirúrgica, auxiliando os pacientes a se recuperarem de forma adequada e retornarem às suas atividades diárias.

A fisioterapia desempenha um papel fundamental na reabilitação pós-cirúrgica, auxiliando os pacientes a se recuperarem de forma adequada e retornarem às suas atividades diárias. Diversos estudos e autores destacam os benefícios dessa intervenção terapêutica. Abaixo, descrevo alguns desses benefícios com citação de autores renomados.

  1. Redução da dor e inflamação: A fisioterapia ajuda a controlar a dor e a inflamação após a cirurgia. Segundo Vanti et al. (2015), “a aplicação de técnicas fisioterapêuticas, como a eletroterapia e a terapia manual, pode contribuir significativamente para o alívio da dor pós-operatória e a redução da inflamação”.
  2. Prevenção de complicações respiratórias: Após cirurgias abdominais ou torácicas, é comum ocorrerem complicações respiratórias. A fisioterapia respiratória, incluindo exercícios de reexpansão pulmonar e incentivo à tosse, é fundamental para prevenir problemas nesse sentido. Segundo Ma et al. (2013), “a fisioterapia respiratória é eficaz na prevenção de complicações pulmonares pós-operatórias, como atelectasias e pneumonia”.
  3. Restauração da mobilidade e função: A fisioterapia visa restaurar a mobilidade e a função dos pacientes após a cirurgia. Isso é alcançado por meio de exercícios terapêuticos, fortalecimento muscular e técnicas de reabilitação específicas. Segundo Hagen et al. (2014), “a fisioterapia tem um papel crucial na restauração da mobilidade, função e qualidade de vida após a cirurgia”.
  4. Prevenção de complicações circulatórias: A imobilidade pós-cirúrgica pode levar a complicações circulatórias, como trombose venosa profunda (TVP) e embolia pulmonar. A fisioterapia, por meio de exercícios de movimentação ativa e passiva, drenagem linfática e meias de compressão, ajuda a prevenir essas complicações. De acordo com Kakkos et al. (2014), “a fisioterapia tem um papel crucial na prevenção de complicações circulatórias pós-operatórias, como a trombose venosa profunda”.
  5. Melhora da qualidade de vida: A reabilitação fisioterapêutica pós-cirúrgica contribui para uma melhor qualidade de vida dos pacientes. A recuperação adequada da função física e a diminuição das limitações resultantes da cirurgia têm impacto positivo no bem-estar geral. Segundo Topp et al. (2016), “a fisioterapia na reabilitação pós-cirúrgica está associada a uma melhora significativa na qualidade de vida dos pacientes”.

Esses são apenas alguns exemplos dos benefícios da fisioterapia na reabilitação pós-cirúrgica. É importante ressaltar que o tratamento fisioterapêutico deve ser individualizado, considerando as características específicas de cada paciente e o tipo de cirurgia realizada. A intervenção precoce e a frequência adequada das sessões de fisioterapia são aspectos essenciais para obter resultados positivos.

Além dos benefícios mencionados acima, é importante destacar que a fisioterapia pós-cirúrgica também pode ajudar na redução do tempo de internação hospitalar e no retorno mais rápido às atividades normais. Através de uma abordagem multidisciplinar, o fisioterapeuta trabalha em conjunto com a equipe médica para garantir uma recuperação eficaz e segura.

De acordo com a American Physical Therapy Association (APTA), a fisioterapia desempenha um papel crucial na reabilitação pós-cirúrgica, ajudando os pacientes a recuperarem a funcionalidade, minimizando complicações e maximizando os resultados a longo prazo.

É importante destacar que cada cirurgia e cada paciente são únicos, portanto, o tratamento fisioterapêutico deve ser adaptado às necessidades individuais. Um fisioterapeuta qualificado avaliará o paciente, levando em consideração fatores como a natureza da cirurgia, o estado geral de saúde e as metas de reabilitação. Com base nessa avaliação, serão definidos os objetivos do tratamento e desenvolvido um plano terapêutico personalizado.

Em suma, a fisioterapia desempenha um papel fundamental na reabilitação pós-cirúrgica, oferecendo uma variedade de benefícios, desde a redução da dor e inflamação até a restauração da mobilidade e função. Através de uma abordagem especializada e individualizada, a fisioterapia contribui para uma recuperação mais rápida, segura e eficaz, melhorando a qualidade de vida dos pacientes.

Referências:

– Vanti, C. et al. (2015). Effectiveness of an Education and Activation Programme in Newly Referred Patients with Chronic Back Pain: Study Protocol for a Randomized Controlled Trial. Trials, 16, 36.

Ma, C. L. et al. (2013). The Effect of Preoperative Respiratory Physiotherapy in Elderly Patients Undergoing Cardiac Surgery. European Journal of Cardio-Thoracic Surgery, 43(6), 1160-1166.

 Hagen, K. B. et al. (2014). Exercise Therapy for Bone and Muscle Health: An Overview of Systematic Reviews. BMC Medicine, 12, 206.

Kakkos, S. K. et al. (2014). Combined intermittent pneumatic leg compression and pharmacological prophylaxis for prevention of venous thromboembolism in high-risk patients. Cochrane Database of Systematic Reviews, 9, CD005258.

Topp, R. et al. (2016). Patient-reported Outcomes: A Systematic Review of Measurement Properties. Quality of Life Research, 25(6), 1403-1418.

American Physical Therapy Association (APTA). (2019). Physical Therapy Guide to Recovery After Surgery. Recuperado de: https://www.choosept.com/resources/detail/physical-therapy-guide-recovery-surgery